Reciclagem de Lâmpadas Fluorescentes

February 28, 2019

 

A lâmpada fluorescente foi criada por Nikola Tesla e introduzida no mercado consumidor em 1938. Ao contrário das lâmpadas incandescentes, possui grande eficiência e economia já que não desperdiça energia em calor. Esse modelo é super versátil e é usado desde o uso doméstico até o industrial. No Brasil, ganharam mercado após o apagão de 2001.


Apesar de serem mais econômicas se comparadas às incandescentes, as lâmpadas fluorescentes demandam cuidado extra na hora do descarte devido aos elementos químicos contaminantes em sua composição, existem pelo menos doze que são utilizados e que podem originar impactos ambientais negativos: mercúrio, antimônio, bário, chumbo, cádmio, índio, sódio, estrôncio, tálio, vanádio, ítrio e elementos de terras raras (ETR).

 

O descarte incorreto pode contaminar terras, rios, animais e alimentos, para se ter noção uma única lâmpada pode contaminar 15 mil litros de água (uma piscina inteira!), portanto, as lâmpadas fluorescentes devem ser encaminhadas para pontos de coletas próprios onde são enviadas para a descontaminação e só após para a reciclagem.


A Gimawa, pensando no bem-estar da humanidade e do meio ambiente, tem parcerias com empresas que realizam a descontaminação das lâmpadas, são elas: Tramppo, Mega Reciclagem e APLIQUIM. Através do sistema de Logística Reversa, nós já conseguimos coletar, descontaminar e reciclar mais de 816.830 lâmpadas fluorescentes, o objetivo é conscientizar nossos clientes, parceiros e fornecedores sobre a utilização da Energia Sustentável, da importância do Retrofit e da Logística Reversa dentro das empresas. 

 

Para pessoa física: No site da eCycle é possível localizar o lugar mais próximo para descartar suas lâmpadas incandescentes de forma segura e correta.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts em Destaque

Conheça os principais tipos de base de lâmpadas

22/03/2019

1/4
Please reload

Posts Recentes

March 7, 2019

Please reload

Arquivo